Ciro fala do governo Lula pela 1ª vez, critica arcabouço e diz que petista "nunca quis mudar"


Ciro Gomes (PDT), ex-governador do Ceará e ex-ministro, fez uma palestra na Universidade de Lisboa, em Portugal, sobre as perspectivas políticas no Brasil, nesta sexta-feira, 12. Pela primeira vez desde a posse do novo governo, ele fez críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e à proposta de novo arcabouço fiscal, que será votado no Congresso Nacional.

Ao falar sobre Lula, Ciro afirmou que o presidente é responsável pelo “reacionarismo dominante hoje no Brasil”. Desde as eleições do ano passado, quando foi quarto colocado, Ciro tem feito raras manifestações políticas.

“Você conhece o Estatuto de Autonomia do Banco Central do Brasil? Sabe que dia foi votado? Foi votado por votação virtual, que é ilegal, em plena pandemia e sem discussão com ninguém. Cadê a representação pela inconstitucionalidade desta lei? Que o Governo, com a força e a liderança que tem, como conseguiu a liminar de Gilmar Mendes... o Lula nunca quis mudar, não tem compromisso com a mudança do Brasil, é o responsável pelo reacionarismo dominante hoje no Brasil, porque ele ganha com isso”, disse.


Ciro Gomes ainda afirmou considerar o novo marco fiscal um “arrocho absoluto”. “Quero saber se é justo que a gente faça um novo teto de gastos, com o nome arcabouço fiscal, um arrocho absoluto na taxa de investimento. Sabe qual é a taxa de investimento do Brasil hoje? A menor da história. Da União federal remanesce para investimento 0,75 de 1%. E isso significa ao redor de 24 bilhões, que é nada”, afirmou.

O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.